Última atualização:

Declínio e extinção do erotismo

 Acompanho, não sem certo divertimento, o debate nas redes em torno da adaptação para o cinema de “Cinquenta tons de cinza”. Houve até um “artigo de uma psiquiatra” sobre o filme (curioso, por que não se diz: “artigo de um crítico”, “artigo de um jornalista”, etc, mas se diz “artigo de uma psiquiatra”?).

Declínio-e-extinção-do-erotismo