Biblioteca


A pulsão em Freud e Lacan - Parte III

  • do Rio Teixeira, Marcus

Corpo, Pulsão, Gozo – Curso Campo Psicanalítico de Salvador 2016
A pulsão em Freud e Lacan (parte III)

A pulsão em Freud e Lacan (parte I)

  • do Rio Teixeira, Marcus

    Se a teoria psicanalítica nos ensina que o corpo do falasser é desnaturado, que não é um corpo animal; se a clínica nos mostra que ele se distingue do organismo, que não pode ser reduzido a sistemas de órgãos regidos pelo funcionamento fisiológico; cumpre definir conceitualmente de que forma se organiza esse corpo.

Coisa de macho

  • do Rio Teixeira, Marcus

Continuamos a leitura do Seminário 10, A Angústia, com a aula XV, “Coisa de macho”. Lembrando sempre que esses comentários, como não poderia deixar de ser, são recortes no texto feitos de acordo com aquilo que cada um de nós pretende enfatizar. Portanto, não são e nem têm a pretensão de ser uma leitura única, definitiva, do ensino de Lacan.

Construção do conceito de objeto a no Seminário 10, A Angústia

  • do Rio Teixeira, Marcus

Trago um pequeno recorte dos muitos pontos abordados nesse seminário complexo e rico em questões clínicas. O conceito de objeto a é construído por Lacan como um work in progress ao longo do seminário. Falar em construção do conceito não significa, obviamente, dizer que Lacan o aborda aqui pela primeira vez.

Corpo e Pulsão

  • do Rio Teixeira, Marcus

Antes de tudo, é necessário explicitar a que estamos aludindo ao falarmos de corpo, evitando dessa forma nos referirmos ao corpo no sentido do senso comum: um dado evidente, cuja mera evocação responderia às questões sem necessidade da teoria.

Heteronomia do desejo

  • Teixeira, Marcus do Rio

Nosso estudo acerca do desejo tomou como ponto de partida o sonho da paciente de Freud que ficou conhecida pelo apelido dado por Lacan, a Bela Açougueira (FREUD, S., 1972 p. 156-160).

Mais-de-gozar

  • do Rio Teixeira, Marcus

A abordagem inicial do objeto da pulsão nos conduziu diretamente à questão da materialidade e/ou imaterialidade do objeto a. Trata-se de uma questão nada simples, frequentemente escamoteada em discussões acerca desse conceito por meio do recurso a definições categóricas do objeto a enquanto falta, vazio, furo, etc.

Notas sobre as perversões em sua relação

  • Czermak, Marcel

A psicanálise "em intensão” não se limita a prepa¬rar operadores no campo terapêutico mas, questionando a relação de um sujeito com a transferência, impele-o num ponto que lhe torna a reflexão ética obrigatória,

O corpo no Estádio do Espelho

  • do Rio Teixeira, Marcus

Apresentamos here hum resumo das teses de Lacan Sobre o Estádio do Espelho, acompanhadas de Comentários de Autores that releem Esse tema à luz de colocações posteriores da Teoria Lacaniana.

O objeto da pulsão

  • do Rio Teixeira, Marcus

Dentre os conceitos elaborados por Lacan, o objeto a talvez seja o que apresenta a maior dificuldade na sua definição, uma vez que na sua vertente real ele não faz parte do campo das percepções, não é um objeto da realidade.

Palavras-chave

© Campo Psicanalítico - Todos os direitos reservados
carlosedu