Biblioteca


Autismo

  • Araújo, Antônio Carlos Caires

Antônio Carlos Caires Araújo

Corpo, pulsão e gozo

  • do Rio Teixeira, Marcus

"Que corpo? Temos vários." (O Prazer do Texto, 39) Tenho um corpo digestivo, tenho
um corpo nauseante, um terceiro cefalágico, e assim por diante: sensual, muscular (a mão
do escritor), humoral, e sobretudo: emotivo: que fica emocionado, agitado, entregue ou
exaltado, ou atemorizado, sem que nada transpareça. Por outro lado, sou cativado até o
fascínio pelo corpo socializado, o corpo mitológico, o corpo artificial (o dos travestis
japoneses) e o corpo prostituído (o do ator).

Os “nãos” do pai

  • Laznik, Marie-Christine

A respeito da função paterna vamos tentar interrogar mais
precisamente a questão da metáfora paterna e do papel do pai real,
como nos mostra a céu aberto uma situação excepcional: a do
tratamento de uma criança autista muito pequena.

Quando a alienação faz falta

  • Laznik, Marie-Christine

O não-olhar entre uma mãe e seu filho, e o fato que a mãe
não possa se dar conta disso, constitui um dos principais sinais que
permitem formular, durante os primeiros meses da vida, a hipótese
de um autismo — estereotipias e automutilações aparecem
somente no segundo ano de vida.

Palavras-chave

© Campo Psicanalítico - Todos os direitos reservados
carlosedu