Biblioteca


Construção do conceito de objeto a no Seminário 10, A Angústia

  • do Rio Teixeira, Marcus

Trago um pequeno recorte dos muitos pontos abordados nesse seminário complexo e rico em questões clínicas. O conceito de objeto a é construído por Lacan como um work in progress ao longo do seminário. Falar em construção do conceito não significa, obviamente, dizer que Lacan o aborda aqui pela primeira vez.

Corpo, pulsão e gozo

  • do Rio Teixeira, Marcus

"Que corpo? Temos vários." (O Prazer do Texto, 39) Tenho um corpo digestivo, tenho
um corpo nauseante, um terceiro cefalágico, e assim por diante: sensual, muscular (a mão
do escritor), humoral, e sobretudo: emotivo: que fica emocionado, agitado, entregue ou
exaltado, ou atemorizado, sem que nada transpareça. Por outro lado, sou cativado até o
fascínio pelo corpo socializado, o corpo mitológico, o corpo artificial (o dos travestis
japoneses) e o corpo prostituído (o do ator).

Do sentido, do sexo e do real

  • do Rio Teixeira, Marcus

       Neste Seminário e naqueles that o sucedem acentua-se a Mudança, iniciada poucos pingos ano, nenhum Conteúdo (em Pontos da Teoria) e na forma (sem estilo de Apresentação). Já NÃO encontramos Mais, Como nsa Primeiros SEUS Seminários, Uma explanação minuciosa do tema, Uma abordagem Do Conceito com detalhamento das REFERÊNCIAS.

Epilogando: A sexualidade masculina tem patrão ou patroa?

  • Rodríguez, Sérgio

O autor parte dos desencontros triviais entre homens e mulheres para ilustrar como a diferença sexual se constitui a partir de uma diferfença significante, que se deve à estrutura da própria linguagem. Esta diferença, porém, é percebida imaginariamente como carência de determinadas propriedades, levando os sujeitos a atribuir responsabilidade pela falta ao outro. O papel original de falo da mãe coloca muitos homens adultos numa posição infantil frente às mulheres.

Heteronomia do desejo

  • Teixeira, Marcus do Rio

Nosso estudo acerca do desejo tomou como ponto de partida o sonho da paciente de Freud que ficou conhecida pelo apelido dado por Lacan, a Bela Açougueira (FREUD, S., 1972 p. 156-160).

L'insu 05 - O Real continua o Imaginário

  • Lacan, Jacques

Jacques Lacan

Um Equívoco

Seminário de 18 de Janeiro de 1977

Mais-de-gozar

  • do Rio Teixeira, Marcus

A abordagem inicial do objeto da pulsão nos conduziu diretamente à questão da materialidade e/ou imaterialidade do objeto a. Trata-se de uma questão nada simples, frequentemente escamoteada em discussões acerca desse conceito por meio do recurso a definições categóricas do objeto a enquanto falta, vazio, furo, etc.

Nabokov, leitor de Joyce

  • Teixeira, Marcus do Rio

Famoso após a publicação de Lolita (1955)[1], romance ao qual seu nome é comumente associado, Vladimir Nabokov é na verdade autor de uma vasta obra, que inclui contos e romances escritos em russo e inglês, dentre os quais se destaca Fogo Pálido (1962)[2].

[1] NABOKOV, Vladimir. Lolita. Tradução de Jorio Dauster. São Paulo: Cia das Letras, 1994.

[2] NABOKOV, Vladimir. Fogo Pálido. Tradução de Jorio Dauster e Sérgio Duarte. Rio de Janeiro: Guanabara, 1985.

Notas sobre a teoria do gênero e a psicanálise

  • do Rio Teixeira, Marcus

É notória a influência da teoria do gênero nas discussões contemporâneas acerca da sexualidade.

Palavras-chave

© Campo Psicanalítico - Todos os direitos reservados
carlosedu